API Google Maps

O Android SDK disponibiliza a API Google Maps

Que pode ser utilizada para a exibição do mapa produzido
pela Google. Esse mapa passa por atualizações
periódicas, o que é bom, pois mantém as aplicações que
o utilizam sempre com fotos de satélites ou mesmo em
outros modos de exibição atualizados.
No mapa também existe por padrão a opção de
personalização como adicionar marcadores, traçar linhas,
polígonos entre outras. Estas personalizações serão úteis
a fim de proporcionar uma boa interação com o usuário
sem dificultar o trabalho de desenvolvimento. A API
Google Maps também disponibiliza do recurso de
localização, que pode vir a ser útil em uma visita ao
campo com o DigiAtlas.
3.3.2 Scrum
Para o desenvolvimento do DigiAtlas foi adotada a
metodologia ágil Scrum. Essa, é uma metodologia
iterativa e incremental que permite controlar o trabalho
de uma equipe que trabalha para alcançar um objetivo
comum. Basicamente na Scrum, tendo em mãos os
requisitos para o sistema (o que deve ser feito), dividese cada requisito em tarefas menores e estima-se o
104
tempo necessário para o cumprimento dessas tarefas,
que quando unidas, se tornaram o requisito pronto. As
tarefas foram planejadas com tempo de duração de uma
semana, o que é definido como uma split na Scrum
(CRUZ, 2013).
Como dito por SOARES (2004) na Scrum
diariamente existem reuniões de curta duração
(aproximadamente 15 minutos) onde o que foi feito e os
próximos passos são discutidos. Além disso, também são
apresentadas as dificuldades e os fatores de
impedimentos são identificados e resolvidos.
Ao término de uma split, uma reunião era realizada
a fim de conferir se o requisito estava de fato finalizado
ou se eram necessárias correções para melhorar a
interatividade com a aplicação.
Como no DigiAtlas não existiu uma equipe de
programadores, a metodologia não foi seguida a risca e
foi adaptada a fim de auxiliar o controle do que estava
sendo feito e o que ainda devia ser feito, assim como
também agilizar o trabalho do desenvolvedor.
3.3.3 SQLite
A utilização do SQLite e não outro banco de dados
deve-se ao fato de ser o banco com suporte nativo no
105
Android, assim não é necessário nenhuma configuração
ou instalação e possui uma documentação completa.
Além disso, possui facilidades como, por exemplo, para
atualizar uma linha de uma tabela, ou realizar uma
pesquisa, não é necessário montar a cláusula SQL
inteira, basta chamar os métodos correspondentes e
passar argumentos necessários que o próprio SDK
montará a cláusula e executá-la.
No caso da pesquisa, o retorno é um cursor, que
referencia uma tabela onde existem somente os dados
que atendem as restrições dos argumentos passados, e
com esse cursor é possível percorrer essa tabela, o que
facilita a programação.
3.3.4 Relacionamento entre os itens descritos
na aplicação mobile
Apresenta-se na Figura 2.2 como os itens descritos
nas seções acima se relacionam com o DigiAtlas Mobile e
entre si. O Android SDK será a parte central, que fará
comunicação com a aplicação e com a base de dados por
meio da biblioteca SQLite.
Além disso é responsável por meio da API Google
Maps, pela exibição e interações com o mapa, o qual
possui marcações nas localidades onde existem dados já
coletados. A forma como os dados serão mostrados
106
detalhadamente ao usuário será responsabilidade da
interface do DigiAtlas.
Figura 2.2 – Relacionamentos de interações entre Usuário, DigiAtlas
Mobile, Android SDK e Banco de Dados.
Fonte: Os autores
3.3.5 O framework CodeIgniter
O CodeIgniter é um framework de código aberto
para PHP, que tem como objetivo otimizar a
produtividade e não sobrecarregá-la. Esse
framework
107
utiliza o padrão Model, View, Controller (MVC), o que
garante melhor organização do código facilitando a
implementação de novas funcionalidades e a
manutenção do sistema. Como a maioria dos
frameworks, o CodeIgniter possui uma documentação
completa com funções, estruturas, convenções e
utilização. Como uma das principais características,
possui a simplicidade, e assim, uma curva de
aprendizagem mais rápida quando comparada a outros
frameworks. (BLANCO; UPTON, 2009).
O
CodeIgniter suporta vários tipos de banco de
dados, como MySQL, MS SQL, Oracle, SQLite entre
outros. A configuração para a utilização de cada um dos
bancos compatíveis é facilmente encontrada na
documentação e fóruns de dúvidas. Isso também foi um
facilitador, pois como dito anteriormente, o banco de
dados utilizado na aplicação servidor também foi o
SQLite, a fim de facilitar a integração da base de dados
dos dispositivos móveis no servidor.
O
framework também possui bibliotecas integradas
que podem ser utilizadas, como para o envio de e-mail e
compressão de arquivos, o que é um facilitador pois tira
a responsabilidade do desenvolvedor criá-las e reduz o
tempo de programação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.